2011/01/30

Regresso às origens

Esta semana, que começa dentro de meia hora, vou voltar às origens. O sítio onde tudo começou. Ou pelo menos onde começou a ficar sério. Onde me deixei embrenhar (fui lá para ser embrenhada, verdade seja dita) pelo teatro.
O meu belíssimo Garcia de Resende - a minha escola por três anos. Depois a universidade. O sítio onde cresci, muito! O sítio onde fui muito feliz e muito infeliz (as coisas não eram fáceis). Resumindo: onde cresci, ou pelo menos, onde comecei a crescer.

Regresso a Évora em trabalho.Todas as manhãs desta semana vamos estar na Joaquim António de Aguiar com o "Partida, Lagarta, Fugida!".
E se escrevo sobre isto é porque estou ansiosa. E alguém me sugeriu que a causa pudesse ser este regresso. E pode muito bem ser. Ao sítio onde se aprendeu, regressa-se para mostrar o que se aprendeu.
E escrevo na tentativa de acalmar este nó que me toma conta do estomago. Escrevendo, exploro, liberto-me... será?!
Sim, é tonto. É uma tolice, das muitas que tenho. Provavelmente não vou dormir merda nenhuma e amanhã acordo mais feia que o habitual.
Mas ainda assim, dá-me prazer saber que ainda me enervo com tolices. Com coisas simples. No fundo, que não estou morta por dentro.

E amanhã é assim! Terça também será, quarta, com toda a certeza e quinta lá estaremos!