2008/02/26

RIP

ontem resolvi começar a tarefa mais difícil dos últimos tempos (pior que o exame de semiologia): sentir-me confortável no palácio.
Para isso é necessário que mude o lugar dos moveis, os poucos. Tenho um mobiliário de sonho que consiste em: tijolos que pintei de vermelho (para a sala. no quarto estão pintados de vários tons de azul e lilás) onde assentam umas madeiras. É precisamente nestas madeiras que tento equilibrar os livros, cd's, dvd's, aparelhagem, vhs (sim porque ainda sou do tempo das cassetes de vhs, quando gravávamos os filmes que passavam na lotação esgotada à quarta à noite na rtp, e não pretendo desfazer-me delas).
Ontem com a febre da mudança, da limpeza e da organização, resolvi inovar: colocar a minha televisão (a que se tinha avariado e que ligava e desligava por vontade própria, mas agora até estava boazinha) tb nesta estante. Coloquei. Equilibrou-se. Mas aquilo não me parecia bem e resolvi afastar os tijolos da parede um pouquito mais, nada de extraordinário. De repente, sem que nada o indicasse, a tábua mexeu-se, a televisão vacilou, eu congelei. parei, fiquei a olhar... e quando ela (a tv) parecia ter encontrado o ponto de equilíbrio PÁÁÁÁS, de boca no chão, (a televisão, não eu). Seguiu-se o silêncio, durante segundos fiquei petrificada a ver os cacos espalhados por ali...
Um fumo estranho saía da traseira da dita. Um cheiro. Um crepitar. Imaginei o filme todo: "Agora a televisão explode e pronto é o fim..." e não me mexi. É inacreditável como imaginei a tampa da televisão a saltar, labaredas altas, a dita tampa a atingir-me a cara, eu no chão deitada, inconsciente.... os livros ali ao lado a pegarem fogo... a carpete, eu cercada por uma roda de fogo...
consegui imaginar tudo isto e não me mexi.
De repente um ataque de consciência: "e se desligasses essa merda da ficha?"
E pronto... não pegou fogo. O crepitar era dos vidros a escaqueirarem-se mais um pouquito.
Fui-me deitar e deixei tudo como estava. Guardei a depressão de apanhar os pedaços da minha melhor amiga para hoje de manhã.