2012/08/27

Diário de uma Servente das Obras #7

já temos a máquina que bufa água a uma velocidade estonteante. Os resultados são visíveis: tenho a mão menos inchada. No entanto, tenho de apanhar muita água do chão. E lama. Porque água com pedaços de tinta e estuque resulta em lama.

Prefiro assim. Pelo menos até aparecerem calos da esfregona.

Entretanto estive no telhado e subi pelo andaime. Estou muito orgulhosa de mim! Mas acho que já não volto lá, tive uma espécie de palpitações nervosas.

Hoje tou virada aqui p'ás informáticas que ainda que a casa esteja quase a vir abaixo, a associação continua.