2012/07/12

deixa-me estar sentada na berma a ver passar o mundo. deixa-me deixar que tudo pare de uma vez e respirar fundo. deixa-me ouvir. às vezes deixo de ouvir. de ver. vejo e oiço. mas não enxergo e não escuto. e quando dou por ela tudo é um borrão ou uma imagem tremida, pouco nítida. os sons são constantes e indistintos. e depois... olha já não sei onde fiquei. perdi-me nalguma imagem tremida, nalgum som que não distingo. hei-de andar por ali. hei-de me achar.
se ficar o tempo suficiente sentada na berma.