2011/09/09

Muito podia eu...

... falar e explicar e gritar (porque de facto é o que dá vontade) sobre as novas medidas de poupança do nosso governo, que claro, trabalha para nós e tem sempre em vista o nosso bem estar. Eu podia explicar as razões, podia enumerar factos, podia. Mas sou um bocado preguiçosa, e assim como assim, já houve quem tivesse dito e provavelmente melhor do que eu alguma vez faria. Assim sendo, e como já fiz isto uma vez e o Samuel Cantigueiro não se chateou comigo, vou arriscar outra vez....


Pílula – Que pena!


Sobre as notícias do fim da comparticipação em três vacinas, sendo uma delas a vacina contra o cancro do colo do útero... e da simples pílula contraceptiva, seria muito fácil dizer que os “filhos da pátria” que tiveram a ideia... não têm noção daquilo que está envolvido.


Não têm noção do esforço que algumas mulheres terão que fazer para encontrar no seu magro orçamento, em vez dos cinco euros habituais, mais vinte euros, todos os meses. Vinte euros... para eles não é nada! Não passa de uma gorjeta somítica, num dos seus restaurantes favoritos.


Não têm noção de quantas gravidezes indesejadas e quantos abortos irão cair no Serviço Nacional de Saúde, causando um muito maior dispêndio de meios... isto, se os abortos não forem feitos “à antiga”, em qualquer lado, com perigo iminente de vida.


Não têm noção de que a quimioterapia que se seguirá a muitos dos casos de falta de vacina, para além de, mais uma vez, ser um dispêndio evitável de enormes recursos, não deixará de evitar muitas mortes.


Seria fácil... mas eu já não estou nessa fase de estado de espírito. Infelizmente, acho que sim, acho que têm noção, mas mesmo assim, para poupar agora uns trocos, não querem saber do dia de amanhã.


Como digo no título, que pena! Que pena, as mães de todos estes “filhos da pátria” não terem tomado a pílula... como e quando deviam!