2011/07/20

Uma caixa de micro cornetos mais tarde...

Continuo à volta das papeladas. É um trabalho sujo, alguém tem de o fazer. Esse alguém sou eu. Faço-o a poder de micro-cornetos e outros sacríficios pessoais sobre os quais não vou falar.
As f´rias vêm aí. Se eu não acabar tudo o que tenho para acabar não vou de férias. Por isso vou deixar de escrever e lançar-me ao trabalho. É duro, mas ninguém disse que ia ser divertido.