2011/01/28

o problema não é gostar demais, é gostar de menos.
depende dos casos. às vezes é ao contrário.

"pensar incomoda como andar à chuva" e escrever coisas sérias e pensadas, mais trabalho dá. e eu sou muito preguiçosa. prefiro ficar a ver novela que, aí sim, está a essência da vida.
deixar o cu no sofá a moldar-se ao estofo, ou vice-versa. ouvir os gritos que vêm da caixa mágica. aí não há intelectualidade nenhuma e a vida é simples: uns são bons e os outros são maus. está tudo muito bem definido. se a vida tivesse banda sonora era muito mais fácil.
e os amores a sério acabavam bem e os sonhadores chegam sempre lá, onde sonhavam chegar. A excepção é a "Tieta" porque ficaram todos debaixo de areia. Aí não acabou bem para ninguém.
O Jorge Amado é que a sabia toda.

Às vezes, se eu pudesse, fazia uma tempestade de areia localizada.

No entanto, não saio por aí a espalhar veneno. São perspectivas e formas de estar. a minha é mais na semi horizontal, com o cu no sofá. a ver a novela!

.....................................................................................................................................................................


ai não me digas que não ficam juntos!