2007/10/24

ui,ui, não se adivinha nada de bom

não deixo de ter a sensação de ter mais qualquer coisa para dizer.
hoje, que está a chover, que acordei cedo demais
hoje, que está tudo nublado, incluindo os meus olhos
hoje, que como nos outros dias é preciso deixar tudo isso para trás das costas e viver como é suposto, como os outros esperam.
e engolimos as nuvens pesadas, ficam guardadas cá dentro no sitio onde ninguém vê.
onde só me incomodam a mim, porque me pesam no estomago,
alivia-me a certeza que não incomodarão mais ninguém,
porque eu vou estar como é suposto.
como se espera, como é necessário a bem da convivência, a bem do social.