2013/06/15

A fase donzela

acabou.

Pela primeira vez na vida arranjei as unhas. Melhor. Paguei a alguém para que mas arranjasse, porque tentativas de me tornar numa senhora auto suficiente foram muitas até hoje e nenhuma correu realmente bem.
Então, desloquei-me a uma profissional da unha, vulgarmente chamada de "manicure" e bumba!
Estava de tal maneira banzada com a minha pose de laide que deixei a moça pintar-me as unhas de uma cor que nem sabia que existia. Tenho todos os 20 dedos do meu corpo cobertos de uma coisa meia plástica de cor coral.

Porque é que eu achava que a cor coral seria um azul muito cintilante, não sei. Mas aprendi que afinal é apenas um cor-de-rosa-a-atirar-p'ró-deslavado-e-ainda-assim-meio-alaranjado.

Quase uma semana após o casório eis que fito os meus 10 dedos dos membros superiores e o que vejo horrorizada?!
Uns cadáveres de unha... vá, umas unhas moribundas...

Verdade, verdadinha é que só hoje perdi o medo de estragar isto tudo. E o que aconteceu? Estraguei isto tudo.

Lição aprendida:
Não se pode perder o medo de estragar a pintura, porque corre-se o risco de efectivamente estragar a pintura.