2007/08/18

ahá! um dia de férias

Hoje foi um dia bom.
Passeei que me fartei. Vi o mar e às vezes, só isso, é suficiente.
Sorri muito. o dia todo!
Fiz a marginal toda até Lisboa, parei no sítio mais improvável e encontrei uma esplanada maravilhosa. óptima para café e água antes do regresso à realidade.
Beja só tem um defeito: falta-lhe a praia, ou pelo menos uma arriba onde pudesse sentar-me a ouvir: strás, strás....

Falei com um amigo que não via há muito... um ano. Começa a ser ritual: todos os Verões lá nos encontramos para o belo do café, se bem que desta vez meteu hamburguer... apostamos no bitoque pró ano?

As vidas vão-se entrelaçando, cruzando, afastando... damos cambalhotas, pinotes, umas vezes aterramos de pé, outras nem por isso, mas vamo-nos esforçando para voltar à posição certa. Sem sabermos bem qual é.
Às vezes conseguimos encontrar o que somos (quando nos perdemos), numa conversa simples, com alguém que nos conhece há muito tempo. é uma espécie de teste, vemos as nossas mudanças nas mudanças dos outros.
Como espelho, reflexo.

É sempre bom voltar um bocadinho atrás, sem voltar na verdade, porque o tempo é este e não há nada a fazer. Mas é bom termos por momentos a sensação de regressar ao sítio onde fomos felizes. E sei que não é possível, e quando digo sítio, é metaforicamente, como tempo, espaço, contextos.... irrepetíveis, bem sei.
Há pessoas que nos lembram momentos bons, e mesmo que não o percebamos, quando essas pessoas regressam à nossa vida, ainda que por instantes, as sensações boas voltam.
Os bons instantes ficam sempre e para sempre associados a caras, cheiros, músicas...

e pronto... estou com o sorriso idiota de novo nos lábios!
associações óbvias: marlboro lights 100%
café curto duplo
viagem para a praia num dia de calor abrasador
duches como única forma de organizar minimamente o raciocínio pela manhã
Estoril

é engraçado... não é uma das pessoas em quem penso com mais frequência ou com quem falo mais, e este encontro soube-me tão bem! fiquei bem!

muito obrigada

beijo grande